DIY

Glitter é poluente?

por  | 

Falamos muito sobre os malefícios do plástico, sobre a substituição dos descartáveis por materiais reutilizáveis, sobre as sacolas plásticas e garrafas PET. Toda essa discussão é essencial, porém não podemos esquecer as pequenas coisas que, muitas vezes passam despercebidas, ignoradas e continuam a poluir sem questionamentos. Estamos falando do glitter. Naquele potinho com cheiro de carnaval também encontra-se um inimigo para o nosso meio ambiente.

Composto de metal e plástico, a substância brilhosa muito usada em maquiagens contribui para as 800 toneladas de plástico despejadas nos oceanos todos os anos. Pelo seu tamanho reduzido, ele entra nos sistemas de filtragem de água, oferecendo, às nossas águas, o microplástico nocivo de sua composição. Parte do brilho é consumido por peixes.

O glitter é poluente? Descubra como fazer o seu próprio brilho de forma caseira ou consumir de marcas conscientes.

Brilhow – glitter biodegradável

Para evitar fazer parte do problema dos microplásticos, dê atenção aos rótulos de todos os seus cosméticos e verifique se eles contêm algum material à base de plástico. Eles são frequentemente listados como polietileno tereftalato (PET), polietileno (PE) ou polipropileno ( PP).

Dica: evite tirar seu glitter na água, pois as micropartículas de plástico escorrem pelo ralo, poluindo rapidamente nossas águas. Use algum óleo com algodão para retirar o brilho.

Alternativas sustentáveis para o glitter

Há marcas que produzem glitter biodegradáveis, feitos a partir de produtos naturais, evitando a poluição do meio ambiente. Pura bioglitter, Brilhow, Glitra e a Zim Color  são algumas empresas que produzem purpurina biodegradável. Porém, você pode fazer o brilho de forma caseira.

O glitter pode ser produzido artesanalmente com pó de gelatina incolor ou pó de ágar-ágar (também conhecido como gelatina vegetal). Misture com um corante de sua preferência – opte pelas opções biodegradáveis como o pó de beterraba, urucum ou cúrcuma. Para um efeito mais brilhoso, adicione à mistura pó de mica, um mineral natural.

Espalhe a pasta em uma camada fina sob um tapete de silicone e deixe secar por até 36 horas. Após seca, triture em um processador para chegar à textura de purpurina.

Avalie o nosso texto
[Total: 1 Média: 5]

Comente esse post!

Formada em história, psicologia, especialista em gestão de negócios e acredita na moda como uma forma de linguagem!