Moda Consciente

Moda para o bem e o projeto Fashion for Better

por  | 

Gucci, Stella MacCartney, Valentino, Vivianne Westwood. O que essas marcas tem em comum além de serem consideradas algumas das labels mais famosas do mundo fashion? Elas estão inserindo a moda consciente não só em seus discursos, mas também em suas coleções.

Usar a moda como forma de melhorar condições insatisfatórias tornou-se uma urgência em um cenário onde cada vez mais cresce a preocupação quanto á origem das peças que consumimos. Condições indignas e injustas de trabalho são uma realidade e fechar os olhos para isso não é mais uma opção. Em meio ao caos moderno, encontramos muitos projetos e ações que visam fazer a diferença e é desta forma que acreditamos ser possível somar para uma realidade menos dolorosa. Conhecemos o projeto Fashion for Better e sua fundadora Francesca Bioggi em um bate-papo no evento comemorativo dos 3 anos do Blog Nouvelle. Lá, encontramos formas diferenciadas de pensar a moda de uma forma encantadora, sonhadora e, o mais importante, possível.

Tivemos o prazer de conhecer a Francesca, o que nos rendeu uma entrevista exclusiva e nos possibilitou entrar um pouco neste mundo que tanto nos identificamos.

 

“A Ideia do F4B  surgiu após desenvolver, durante anos, coleções em diferentes países. Com esta bagagem, cheguei a exaustão e decidi que tinha que trazer soluções para situações que estavam matando o produto e os profissionais ao seu redor. E na Índia, há alguns anos atrás, decidi que não podia mais ver a indústria da moda virar tão massacrante e ficar de braços cruzados .”

O projeto

O Fashion for Better nasceu com o propósito de garantir a procedência da mão de obra e foi criado para os consumidores que desejam, além de investir em um produto com design impecável e de boa qualidade, usar o seu poder aquisitivo para se posicionar a favor da dignidade da vida. 

“Fashion for Better é um movimento que busca mudança global nas relações humanas com a sustentabilidade no mundo da moda.

O objetivo é empoderar mulheres no Brasil e no mundo a serem empreendedoras, capacitando e conectando-as com designers, marcas e fábricas de forma que toda a cadeia possa ser parte de uma economia criativa com base nos cinco pilares do nosso desenvolvimento sustentável:  social, ambiental, cultural, econômico e tecnológico.

Acreditamos que as máquinas irão tomar os empregos automáticos e repetitivos, mas não irão tomar o lugar de empreendedoras criativas. O nosso planeta está trabalhando no negativo.

Nós conseguiremos isso através de preços competitivos baseados na estratégia P2C (produtor para consumidor) disponível no nosso marketplace omnichannel:  www.usef4b.com, para marcas com propósito e com parcerias com marcas renomadas.”

O Fashion for Better é um movimento pela consciência dentro da indústria da moda. Cansados da exploração do trabalho infantil, do trabalho escravo e de práticas antiéticas, queremos levantar a bandeira da consciência da produção de moda no mundo. 

O intuito é criar tanto produtos 100% brasileiros quanto fomentar o intercâmbio entre os países.

“Só se cresce com outros olhares e novas receitas . A China validou o made in China desta forma e hoje é o primeiro produtor de moda mundial . A Itália, responsável pela criatividade mundial  há mais de 40 anos, valida o made in Italy com intercâmbios produtivos. Então por que os brasileiros insistem em inventar a roda ?”

‘O intuito é juntar a criatividade e a cultura multi étnica brasileira à tecnologia e produzir produtos para a cadeia da moda internacional fazendo colaboração com os “made in” ‘

Como a indústria brasileira reage com essa nova forma de produção? Você percebe que terá muitos obstáculos nessa trajetória? Quais são as maiores dificuldades?

“O receio em dividir informações ….. bobagem não ? Pois o nosso lema é : #juntossomosmais

Com a experiência que estamos vivenciando, estando ativos em campo. A nossa estratégia comercial P2C (produtor para consumidor) está abrindo a visão de muitos empresários.”

Sabemos que, infelizmente, a cultura do consumo em massa faz parte da cultura brasileira. O comprar em quantidade, ignorando tanto a qualidade quanto a forma de produção e as consequências da mesma pode ser um empecilho para entrar com esses novos produtos no mercado brasileiro?

“Recentemente, a Unilever formalizou uma pesquisa onde dizia que 80% dos brasileiros preferem comprar produtos que fazem a diferença  e nós, do F4B, acreditamos que, mantendo os consumidores informados, contribuiremos com uma grande mudança de consumo. ”

Com uma produção menor, um trabalho mais humanizado e matéria-prima de qualidade, a marca F4b visa atingir qual público? Será voltado para o mercado de luxo?”

“Todos os públicos. O nosso market place  www.useF4B.com visa dar o melhor em design e qualidade em todos os produtos através das marcas que abraçarem os nossos pilares sustentáveis .”

Venha participar e colaborar conosco.  #JuntossomosmaisF4B.

Avalie o nosso texto
[Total: 3 Média: 5]

Comente esse post!

Formada em história, psicologia, especialista em gestão de negócios e acredita na moda como uma forma de linguagem!