Moda Consciente

O que a moda tradicional não conta

por  | 

Os impactos sociais e ambientais oriundos da indústria da moda tradicional é um assunto pouco abordado. Em vez disso, esse cenário é solapado com imagens luxuosas de glamour ou pela etiqueta contendo um preço baixo servindo como isca para o/a consumidor/a.

A falta de transparência promove a ignorância de toda a cadeia que permeia a produção. Desde o tecido utilizado e seu plantio, até as condições de trabalho e o descarte dos resíduos. Que corante utilizam? Como é feito esse processo de tingimento? Quais os impactos diretos e indiretos que essa produção acarreta ao meio ambiente? Nada disso nos é dito nas etiquetas das peças.

Imagem retirada do site Fashion Revolution

Disponibilizar informações envolvendo os fornecedores utilizados auxilia no controle dos mesmos frente a qualquer prejuízo aos direitos humanos e aos impactos negativos que estes fornecedores podem causar. Essa situação de quase clandestinidade acarreta um descontrole que envolve a saúde do planeta como um todo. Algumas marcas como a Asos e a Hugo Boss já estão fornecendo a lista do  local de fabricação de suas peças. Aos poucos este cenário está mudando, porém a passos lentos.

Nenhum processo produtivo que utiliza matéria prima virgem pode ser considerado sustentável, independentemente do tecido a ser produzido. Claro, há produções mais poluentes do que outras. O algodão, por exemplo, requer uma grande quantidade de água para a sua colheita, fora os agrotóxicos utilizados e o desmatamento para abrir área de plantio. Há sim o algodão orgânico, diminuindo consideravelmente o impacto ao cessar o derramamento de insumos tóxicos ao solo, tendo um impacto MENOS destrutivo.

Imagem retirada do site Modefica

Seguindo a mesma lógica, o jeans – tão corriqueiro em nossas vidas – é considerado um dos tecidos mais poluentes, consumindo grande quantidade de água, energia e produtos químicos prejudiciais ao meio ambiente e aos trabalhadores que lidam com sua produção. As grandes fábricas produtoras de denim encontram-se na Ásia, onde são responsáveis por grande parte da poluição de rios e mares. Os insumos tóxicos – incluindo metais pesados cancerígenos – utilizados para o tingimento dos fios são despejados, em sua maioria, nos rios, adoecendo a população.

Os impactos da indústria da moda – a 2º indústria mais lucrativa

Imagem retirada do site Autossustentável

 

A alternativa ainda mais coerente ao se falar em moda sustentável é o reaproveitamento de peças já existentes, evitando tanto o consumo de tecidos novos quanto o descarte de antigos.

Upcycling: a arte de transformar

Além disso, vem sendo produzido vários tecidos provenientes ou da reciclagem de outros materiais ou de substâncias alternativas como a casca da banana e o próprio leite.

Tecidos sustentáveis e eco friendly

 

Imagem retirada do site Fashion Revolution 

A conscientização dos consumidores/as força as marcas/fábricas a se adaptarem ao novo público exigente. Quando cada um/a entender o poder que está em suas mãos, poderemos impactar positivamente uma indústria que há anos vem tornando nossa população e planeta doente.

Avalie o nosso texto
[Total: 10 Média: 4.3]

Comente esse post!

Formada em história, psicologia, especialista em gestão de negócios e acredita na moda como uma forma de linguagem!