Looks

Semana de Moda Paris: primavera – verão 2016 (parte 2)

por  | 

paris-fashion-week-logo-2013

Continuando o post sobre a Semana de Moda de Paris para a primavera – verão 2016, hoje falaremos das grifes que desfilaram nos dias 1 à 4 de novembro que compreendem o terceiro ao sexto dia de desfile da moda verão feminina.

Para ver os desfiles dos dias 29 e 30 de setembro clique aqui.

No terceiro dia (1/10, 5ª feira) – Desfilaram:

Chloé; Carven; Manish Arora; Ann Demeulemeester; Paco Rabanne; Tsumori Chisato; Balmain; A.F. Vandevorst; Barbara Bui; Rick Owens; Talbot Runhof; Lanvin; Vetements.

Chloé

A estilista Clare Waight Keller mostrou nas passarelas um estilo boho com uma pegada sportswear. Os destaques foram: estampa floral bem pequenina em saias longas; a seda nos looks “esportivos”; os detalhes em rendas; salopete de macacão e no vestido; muitas cores pintam o verão 2016; calças jeans amplas, barras desfiadas na onda destroyed e uma lavagem amarrotada; blusas ciganinhas; blusas de alcinhas finas.

A marca propôs um verão confortável mas com charme:

Carven

A mistura entre os anos 60 e o estilo Navy (marinheiro) foi a base do desfile: o plissado; as cordas; o azul; citações recorrentes à temática “mar” com bolhas em estampas 3d; os babados que lembram as ondas.

Manish Arora

Chocante e colorida, nada menos que o exagero neste desfile. A mistura de estampas foi mais uma vez maravilhosa; o mundo inteiro pode ser representado nessas referências étnicas; as cores fortes e vibrantes; borboletas; franjas e um estilo folk; brilhos; flores; franjas e brilhos metalizadas, eu adoreiiiii!!

Paco Rabanne

Uma variação do estilo fórmula 1 e astronauta. Um futurismo esportivo com bastante couro e peças metálicas são a visão da marca para o próximo verão. Os grandes destaques são: o couro; o metalizado tanto no prateado como no dourado; os desfiados e as peças assimétricas; saias e vestidos com fendas; patches aplicados nas roupas como nos macacões de fórmula 1; franjas, traçados e uma cara bastante realista nos looks; seios marcados com recorte tipo bustiê e aplicações equilibram com leveza os looks, já que suscitam os recortes de lingerie (em alguns momentos apareceram algo tipo elásticos de cueca nas peças).

Balmain

Sexy e ousado sem deixar de ser elegante, esse foi o desfile da marca. O que marcou na passarela: decotes; peças justas; peças acinturadas; peças vazadas; mulheres poderosas; babados; segunda pele tipo meia-arrastão; os tons terrosos; nó macramê; transparência; muito cinto largo, marcando a cinturinha; sandálias gladiadoras de salto alto fino ajudaram a compor os looks; o verde azulado entre o esmeralda e o turquesa; nos acessórios a gargantilha choker.

Rick Owens

Isso é o que chamo de um desfile bastante teórico. Rick Owens mostrou mais uma vez como se faz um desfile de ideias deixando as roupas como coadjuvantes. Quem compra do estilista não compra somente uma roupa, compra uma ideia e uma forma de ver e criticar o mundo.

Modelos grudados em duplas por meio de faixas entraram nas passarelas; enquanto uma caminhava, o outro era carregado de ponta cabeça e de muitas outras posições. Diferente? muuuuito!!! Segundo o artista que optou por essa apresentação é uma metáfora sobre a força das mulheres que geram seus filhos e continuam carregando-os mesmo depois do nascimento. Muito memes apareceram na net brincando o o desfile de Owens: “uma solução para o trânsito nas grandes cidades…”

Quanto as roupas: os tecidos leves; peças com movimentos em composição com peças estruturadas e rígidas; peças bufantes.

Lanvin

Era de se esperar passar vontade vendo esse desfile: sobreposições como a saia com calça de alfaiataria; assimetria; drapeados; paetê; sutiãs de renda visível nos decotes profundos e nas alcinhas finas; nos acessórios laços e flores.

No terceiro dia (2/10, 6ª feira) – Desfilaram 

LoewePeet Dullaert; ChalayanIssey MiyakeJulien David; Christian Dior; Isabel Marant; Undercover; Andrew GN; Vassily; Lutz Huelle; Luis Buchinho; BalenciagaRundholz; Yohji Yamamoto.

Loewe

Desfile repleto de texturas: vidros colados em algumas peças; o plastificado no couro; a transparência; as franjas metalizadas; estampas com flores de algodão; aves estampadas; o tricô jacquard; o logo nas peças parece que não perdeu a vez; outro destaque no desfile foram as bolsas incríveis.

Estilista: Jonathan Anderson

Chalayan

Isso que é chegar “chegando”. O desfile iniciou com duas modelos paradas em seus looks branquinhos, quando: dois chuveiros são ligados acima de suas cabeças. Acham que a surpresa acabou? nãoooo… Os looks eram de papel e se desfizeram…acham pouco? Adivinha então….por debaixo dos papéis estava nada menos que um vestido bordado com cristais Swarovski.

O desfile, que combinou perfeitamente o teórico e o prático, fez uma metáfora sobre Cuba: o militarismo visto na maioria das peças representado pelo verde e pelo charuto usado como brôche, além das estampas de bonecos surreais. A coleção trouxe: a sensualidade em peças curtinhas; o plissado; peças vazadas com recortes geométricos; a transparência e os saltos arredondados.

Estilista: Hussein Chalayan

Issey Miyake

O desfile trouxe o plissado como carro-chefe. Os destaques foram: nova forma de fazer o plissado com cola e aquecendo depois; as texturas; as franjas; o color blocking; a ráfia em xadrez que vira franjas.

Estilista: Yoshiyuki Miyamae

Christian Dior

Com o cenário repleto de flores lilás a Dior trouxe: camisolas vitorianas do século 21 como peças principais da coleção, elas apareceram no início do desfile sozinhas com shorts cintura alta e top cropped e depois apareceram embaixo das sobreposições. As peças são delicadas e românticas, o que confronta com a imponência da marca. Nas camisolas vitorianas a transparência e os recortes em ondas ditaram o que vai ser preferência no próximo verão com toda a certeza. Outros grandes destaques foram nos blusões cropped em  tricô jacquard, também com bordas onduladas; os plissados; sandálias e as mules de bico fino; tornozelos com fivelas; as gargantilhas chokers com lenço.

Estilista: Raf Simons

Balenciaga

Desfile com gostinho de despedida e esperança. A saída que o estilista  Alexander Wang não quis deixar passar despercebida. 35 looks incríveis todos na cor branca/marfim. O desfile: cheio de texturas; vestidos-camisolas super sexy e românticos; as modelos usavam chinelos com rendas; algodão; listras; tecidos fluídos; as peças, em especial os tops, lembram lingeries; cetim; conjuntinhos tipo pijamas; as calças com modelagens amplas; barriga a mostra; macacões; transparências; sobreposições; pochetes e as bolsas com franjas.

Estilista: Alexander Wang

Yohji Yamamoto.

Eis um estilista ousado na hora de criar estruturas em tecidos. Nas passarelas Yamamoto trouxe: nós; a cor preta com algumas coisas em jeans ou no cinza; a cintura marcada apareceu novamente; o tênis (Adidas).

No quinto dia (3/10, sábado) – Desfilaram

Junya Watanabe; Haider Ackermann; Veronique Leroy; Mugler; Diogo Miranda; Acne Studios; Elie Saab; Vivienne Westwood; Comme des Garçons; Elvana; Kate Bee; Rahul Mishra; Nina Ricci; Olympia Le Tan; Geoffrey B. Small

Haider Ackermann

A la Dark Punk o desfile da grife trouxe: cabelos coloridos neo punk ou cobrindo os rostos junto com um tule redinha; as cores azul clarinho; o rosinha/pêssego; o verde; o amarelinho; tipo candy colors em tecidos aveludados e no cetim trouxeram uma ar doce e romântico às peças; camadas e babados; jaqueta de couro; casacos com fendas; calças de cintura alta; a estampa de zebra aparecendo ali e acolá.

Mugler

A marca trouxe a temática náutica para as passarelas. Entre os destaques: o body; o estilo navy foi explorado em insignias e patentes dos uniformes de marinheiros; o couro; as regatas brancas em baixo; a assimetria das peças em alfaiataria; bastante pele a mostra; as cores militares, em especial o verde; recortes vazados; vestidos torcidos na altura da barriga; e os vestidos decotados em um dos ombros.

Estilista: David Koma

Vivienne Westwood 

Haaa Veneza… O verão 2016 da marca trouxe o surrealismo para as passarelas em temas inspirados em uma das cidades mais românticas do mundo. Os looks que desfilaram trouxeram: looks curtinhos; vestidos esculpidos no corpo (moulage); casacos gigantes de alfaiataria que escondem o rosto; ombros grandes;  terninhos em arlequim e losangos (traje era feito de retalhos multicoloridos tipo o bobo da corte ou das famosas fantasias de carnaval veneziano); definitivamente o look pijama estará nas ruas no próximo verão, principalmente os listrados.

Comme des Garçons

Mais um desfile bastante teórico/conceitual. A grife colocou nas passarelas: volumes grandes tanto nas roupas, que quase não dava para saber quantas peças as modelos vestiam, quanto nos cabelos vermelhos e gigantescos; penas; babados; animal print de oncinha; amarrações gigantes; batom estilo underground; veludo e tiras de tecidos.

Estilista: Rei Kawakubo

No sexto dia (4/10, domingo) – Desfilaram

Kenzo; Emanuel Ungaro; Céline; Masha Ma; Maison Rabih Kayrouz; Roland Mouret; John Galliano; Akris; Catch Michelle; Kaviar Gauche; Alexander McQueen; Naco Paris

Kenzo

Basicamente o que vimos nas passarelas foi: tricôs super coloridos com estampas e leveza; o certeiro cinto-pochete geométricos; os trabalhos em patch com tecidos bem texturizados ou estampados; batas estruturadas; vestidos longos também trabalhados em pacth; babados; calças amplas; e saias bem curtinhas

Estilistas: Carol Lim e Humberto Leon

Céline

De fato os vestidos-camisolas devem vir para ficar nessa temporada primavera-verão 2016. Os destaques do desfile foram: as rendas; as transparências no seios; blusas e vestidos ovalados; calças cropped; bico fino nos calçados; botas vermelhas com preto pesadas; calça xadrez; vestido peludo com cinto combinando; casacos e túnicas de malha canelada; as bolsas presas ao punho como extensões dos looks e uma pitada de militarismo em vestidos e macacões.

Estilista: Phoebe Philo

Alexander McQueen

Assim como na história do surgimento da marca, a seda foi o carro-chefe do desfile. Destaques principais: a qualidade da seda; flores em estampas; bordados; uma coleção bastante romântica; babados; o body chain; os vestidos com uma pegada vintage assim como a alfaiataria; transparências e o jeans.

Estilista: Sarah Burton

Avalie o nosso texto
[Total: 0 Média: 0]

Comente esse post!

30 anos, nascida em Cuiabá -MT, mas manezinha de criação e coração. Apaixonada por viajar, animais, comida....tantas coisas...acho que sou apaixonada pela vida.