Moda Consciente

Você REPETE ROUPA? Entrevista com quem ficou mais de 1 ANO SEM COMPRAR.

por  | 

Aposto que você já abriu seu armário para montar um look e pensou pelos menos uma vez na vida (sendo muuuuuito otimista): “não tenho nada para vestir”. Mesmo com o guarda-roupas lotados todas nós passamos por isso e com toda certeza não porque o closet realmente estava vazio, mas pelo simples fato de que somos bombardeadas diariamente com novas tendências, padrões inalcançáveis e estímulos para consumir desnecessariamente.

É neste cenário que Melody von Erlea conseguiu romper com o ciclo de consumo. Desafinado-se a ficar 1 ano sem consumir supérfluos possibilitou o reconhecimento do seu estilo pessoal assim como valorizar as peças em composições antes nunca seriam usadas.  Criativa em suas produções, Melody estimula o público à um segundo olhar sobre as roupas e em como combiná-las. Entrando neste clima confira uma entrevista com a fera criativa, Melody von Erlea do site  Repete Roupa.

1- O que te motivou a iniciar o desafio e criar o Repete Roupa?

 

“ Eu já queria há algum tempo testar os “limites do meu estilo” e já pensava nesse formato de repetir uma peça de roupa todos os dias da semana há algum tempo. O pontapé inicial foi quando eu conheci o blog da Cait Flanders e comecei a ler sobre minimalismo e hábitos de consumo. Foi quando decidi juntar essas duas coisas – conceitos minimalistas e usar uma roupa de várias maneiras – que o blog tomou forma.”

 

2 – Como eram seus hábitos de consumo antes do desafio?

“ Quando eu fui morar sozinha em 2016 eu já mudei bastante meus hábitos de consumo – já cortei muita compra de roupa e de supérfluos, mas comprei muita coisa pra casa e passei a ter os gastos de morar sozinha. Foi esse ano de mudança que me fez perceber que eu vivia muito bem sem comprar roupa com tanta frequência e que me fez decidir cortar MESMO qualquer gasto com supérfluos em 2017. Antes disso, meu maior gasto era roupa. Minha auto-estima e autoconfiança dependiam muito de ter certas roupas, e ao mesmo tempo eu estava sempre infeliz com meu guarda-roupa, sempre a procura de roupas novas, sempre me sentindo feia ou não tão estilosa quanto outras mulheres. Ai, péssimo, né? Quando comecei a ler a Cait Flanders e vi ela falando sobre não sentir vontade de comprar nada e finalmente entender que a felicidade ou a satisfação não estavam atreladas a consumo, e sim a se compreender e aprender a ter o suficiente. Achei tão bonito e queria isso pra mim. hahaha”

3 – O desafio sugere ficar um ano sem comprar roupas/acessórios ou apenas consumir o mínimo necessário?

O desafio não tem um formato fechado e deve ser adaptado à necessidade de quem quiser aderir. É sempre legal lembrar da JoJo Moura, do Um ano sem Zara, que ficou um ano sem comprar roupas, sapatos e acessórios, mas podia consumir outras coisas e gastar com outras coisas. A Cait Flanders fez uma mudança radical: parou de comprar qualquer supérfluo (roupas, sapatos, objetos decorativos, papelaria, canecas) e além disso parou de jantar fora, tomar café fora, comprar chocolate, e várias outras coisas. Tanto a Joana quanto a Cait estavam endividadas quando começaram seus blogs, e cada uma identificou seu problema e construiu o desafio da melhor maneira – o importante é que elas fizeram isso para ajudarem a si mesmas, para melhorarem, e isso é mais importante do que a roupa em si. Eu cortei todos os supérfluos, mas nada de comidas nem restaurantes.

3.1 Como é feita a escolha do que comprar?

Montei minha lista de compras de acordo com o que eu sabia que precisaria. Gastos com automóvel, substituição de itens que estragassem durante o ano e um sofá estavam na minha lista, mas cada pessoa deve pensar em suas próprias necessidades. A ideia é sempre focar no que é necessário, suficiente e aprender a cortar exageros – pelo menos é isso que eu queria.

 

na semana 6 (que foi pré-carnaval), o tema foi estampa+liso. eu tinha feito uma semana de mix de estampas e em seguida uma semana monocromática, então decidi misturar um pouco as ideias. só que aí eu tirei as fotos e sem querer deletei metade delas, o que atrasou a publicação do post. e aí já estávamos no meio do carnaval, o que despertou minha versão reclusa e ermitã (inclusive no mundo virtual), e aí quinta e sexta foram muito poucos dias pra eu conseguir lidar com uma vida real que eu tinha ignorado durante todo o feriado. . deu que nem consegui postar aqui no instagram essa semana, então pega essa: um gif com todos os visus da semana pré-carnaval (e dá pra ver todos os looks com paciência e detalhes no blog, o link tá na bio!) . amanhã sai o post da semana de carnaval, cujo tema vocês escolheram e foi: só vestidos (não, gente, aqui não tem fantasia pra bloquinho nem glitter nem nada assim, só minhas roupitchas normais – dos dias que não fiquei em casa de pijama). . essa semana também termino finalmente a saga das roupas e dos gêneros: por que RAIOS a gente se convenceu que rosa é uma cor de menina? se você ainda ta cuiozzy (e com paciência), guentaê que logo concluo essa parada! e se você ainda nem leu os posts sobre roupa e gênero, corre no meu perfil pra ler! tudo começa numa foto de uma criança angelical de cabelos louros e vestido branco, cola lá e entra nessa viagem com a genteeee! . . . . . . . . . . . . . #repeteroupa #1lookporumasemana #estampaeliso #stuffwithprints #estampas #modaconsciente #consumoconsciente

Uma publicação compartilhada por repete roupa! – por melody (@repeteroupa) em

 

4- Você percebeu alguma mudança além das vestimentas? O que modificou no seu estilo de vida?

sim, o mais legal é passar a realmente enxergar minhas necessidades e gostos. não apenas no guarda-roupa, mas na vida em geral. Me desapeguei de muitos livros, móveis, devolvi coisas que minha mãe tinha me dado, coisas que eu tinha ganhado da minha vó…. objetos que eu tinha por obrigação, porque achava que precisava, mas que não acrescentavam nada à minha vida, ocupavam espaço, tomavam meu tempo com limpeza e organização…. aprendi que precisamos ter equilíbrio em tudo. A gente esquece disso, do equilíbrio, do ter apenas o suficiente. Estamos tão acostumados a querer sempre mais coisas e coisas mais novas, saca?

Claro que a economia de grana foi ótima também – hahahaha – é muito louco como simplesmente parar de gastar com bobagem ajuda tanto financeiramente. Saber o que a gente tem em casa, o que a gente realmente usa, o que a gente precisa. Fazer compras pensadas, não só de roupa mas de tudo.

 




 

5 – Você pretende continuar em 2018?

Sim, estou no meu segundo ano sem comprar supérfluos! esse ano parei de repetir roupa semanalmente e tô escolhendo temas semanais, tá bem bacana. A única coisa de supérfluo que me permiti esse ano é aquele achado massa de brechó se por acaso eu esbarrar em algum (e sempre preciso tirar algo do meu guarda-roupa se trago algo novo pra dentro)

6 – E aqueles presentinhos de familiares e amigo em aniversário e datas comemorativas?Como os familiares encararam o desafio?

Ai, isso é uma das coisas mais difíceis. As pessoas tem dificuldade de compreender que aquele presentinho que a gente compra nas datas comemorativas por obrigação não é legal – cria demanda desnecessária de produção, enche a casa dos outros de tranqueira (e quem tem que dar um jeito de se livrar depois é quem ganhou, né?), produz lixo, faz a gente gastar dinheiro à toa…. mas a cultura do presente é muito forte. Eu não guardo nada que não vá realmente usar ou consumir. Gosto de pedir que não me tragam presentes mas se quiserem mesmo que seja sabonete ou chocolate, que são coisas que eu sei que vou usar!

 

que tal um #tbt em pleno domingo? . em janeiro de 2017 decidi tentar me desintoxicar do meu próprio vício em comprar roupa e tentar entender os mecanismos do meu cérebro pra querer comprar coisas o tempo todo e nunca gostar do que já estava na minha casa e no meu armário. escolhi passar um ano sem comprar supérfluos, roupas principalmente, e repetir semanalmente uma peça de roupa pra aprender a usar tudo que eu tinha a seu máximo potencial. . foi quando eu estava na semana 30 do meu desafio que a lilian pacce lançou o dela: #1lookporumasemana. me joguei sem pestanejar (porque já tava bemmm calejada na arte) e levei o desafio ao máximo: 4 peças de roupa a semana inteira – uma parte de baixo (saia cinza), uma parte de cima (macaquinho) e duas terceiras peças, uma de frio (poncho branco) e uma de calor (colete verde). . usando essas 4 roupitchas de todas as maneiras que elas permitem, dá pra montar quase 30 visus sem repetição, gente. aí no gifzinho estão alguns deles pra vocês terem uma ideia. o macaquinho serve de parte de cima e de roupa completa, a saia serve de parte de baixo e vestido, o colete serve também de blusa e de vestidinho e o poncho da usar de mil e uma maneiras. . o segredo pra parar de comprar demais é olhar com carinho e atenção pro que a gente já tem. . (e, aproveitando, o macaquinho tá à venda na minha lojinha do enjoei! só colar em enjoei.com.br/repeteroupa) . . . . . . . . . . . . #repeteroupa #1lookporumasemana #7lookschallenge #25lookschallenge #4peças30looks #mindfulconsumer #consumominimalista #consumoconsciente #minimalismo #minimaliststyle #minimalistfashion

Uma publicação compartilhada por repete roupa! – por melody (@repeteroupa) em

 

7 – Houveram dificuldades iniciais? Quais foram?

Eu não sou blogueira de moda por talento inato, sabe? Sou uma professora, não me considero lá muito fotogênica, então tirar as fotos no começo foi bem chato e difícil! Mas aos poucos fui aprendendo, e isso foi muito legal. A questão da exposição também é bem delicada – eu tava há quase três anos fora das redes sociais e precisei de coragem pra me expor desse jeito. Mas o retorno que eu recebo é tão legal, vale muito mais a pena do que desistir por causa das dificuldades (o:

8 – Como foi encarar as mesmas roupas sem cair na mesmice? De onde vem tanta inspiração para looks nada óbvios?

Olha, acho que olhar com carinho e atenção pras nossas roupas ajuda muito pra pensar em looks originais. Tenho minhas pastinhas de inspiração no pinterest, sempre checo, sempre penso “o que daqui eu conseguiria mais ou menos reproduzir com as roupas que tenho?”. Experimentar combinações novas é legal, ter uma visão de fazer compras no próprio armário, sabe? Olhar pras roupas e pensar “como eu ainda NÃO usei vocês?” e ir lá e experimentar. Não ter vergonha de usar coisas que as pessoas normalmente não usariam também é ótimo. “Ai mas será que as pessoas não vão achar estranho uma saia em cima da outra?” Não importa!!! Veste, vê se você curte. Se curtir, manda bala!

 

minissaia de camurça saiu mais vezes de casa essa semana do que no ano de 2017 inteiro (usei duas vezes ano passado e três vezes só essa semana!). essa minissaia é uma fofura mas acho que ela é meio curta demais – eu tenho bunda grande e atrás ela fica sempre levemente perigosa por causa do comprimento, mas eu resolvo usando com coisas mais compridas por baixo ou casacos longos por cima, no frio. . eu vi essa saia fofa num grupo de facebook chamado brechó da usp há uns 4 anos atrás, entrei na fila pra comprá-la mas nem criei muitas esperanças porque a fila era gigantesca. acho que todas as molieres desistiram dela por causa do comprimento, porque não é possiveeeeelllllll que nenhuma delas tenha ficado com essa belezura. a dona da saia nunca me contactou, mas houve um encontro ao vivo do grupo e eu levei meus desapegos pra achar novas donas – e acabei tropeçando nessa saia no evento. ela era parte de um conjunto meio country com um top/bustiê/sei lá horrososo de couro todo recortado e com amarrações, não sei nem descrever. levei só a saia, muito obrigada. . uso pouco a minissaia porque mesmo que ela fosse ligeiramente menos curta, o que eu mais faço é trabalhar e ela é totalmente inapropriada pra isso, néam. já pensei em desapegar dela váriassss vezesssss mas como sempre me pego com olhos compridos pra minissaias de botão nas lojas desse meu brazeel e também no enjoei, prefiro mantê-la aqui e evitar a fadiga de comprar uma nova, que seria mais cara e, né, igual a algo que eu já tenho. . qual é a relação de vocês com minissaia? gostam ou não? ficam meio isenguras com pernocas de fora? me conta! . . . . . . . . . . . . . . . . . . #1lookporumasemana #repeteroupa #7lookschallenge #mindfulconsumer #brechó #roupadebrechó #vintage #lookdoavesso #secondhand #mindfulconsumer #consumominimalista #modasustentavel #modadebrecho #repitomuito #lookvidareal #looksdevdd

Uma publicação compartilhada por repete roupa! – por melody (@repeteroupa) em

 

9 – Qual, ao seu ver, é a principal dúvida dos seus seguidores antes de começar?

Acho que eles devem se perguntar “QUANTAS ROUPAS SERÁ QUE ESSA MINA TEM?” – hahahaha

As pessoas ficam surpresas quando vêem meu armário. Eu não tenho tanta roupa, eu só faço questão de sempre usá-las de jeitos diferentes. Já me perguntaram por que meu blog chamava repete roupa se não tinha nenhuma roupa repetida nunca. Lembro de pensar “amigo, acho que você não olhou com atenção” hahahaha

Avalie o nosso texto
[Total: 2 Média: 5]

Comente esse post!